EDITORIAS

New-01-01.png

ASSINE

assi-01-01.png

ANUNCIE

Cimvi comemora 20 anos e anuncia novidades

04 Dezembro 2018 16:43:02

Cerimônia será realizada nesta quinta-feira, às 17h, na sede do Consórcio, em Timbó

Bruna Laline Ramos / JMV


TIMBÓ - O Consórcio Intermunicipal do Médio Vale do Itajaí (Cimvi) comemora em 2018 seu aniversário de 20 anos de fundação. Para marcar a data, uma cerimônia será realizada nesta quinta-feira, dia 6, a partir das 17h, na sede do Consórcio, localizada na rua Tupiniquim, bairro Araponguinhas, em Timbó.

Conforme informações do diretor do Cimvi, Fernando Tomaselli, representantes dos 15 municípios do Consórcio estarão presentes no evento e, durante a comemoração dos 20 anos, serão anunciadas novidades, principalmente relacionadas às mudanças do Aterro Sanitário, que passará a ser "Parque Girassol".

Conheça a história

Em razão de problemas ambientais comuns decorrentes do crescimento econômico-social, os municípios de Benedito Novo, Doutor Pedrinho, Rio dos Cedros, Rodeio e Timbó firmaram a intenção de cooperação mútua e constituição de pessoa jurídica para promover a gestão consorciada de atividades ligadas a recursos ambientais.

Com base na Política Nacional de Recursos Hídricos, em agosto de 1998 foi constituído, sob a forma de associação civil sem fins econômicos, o "Consórcio Intermunicipal da Bacia Hidrográfica do Rio Benedito". Em janeiro de 2003, também ingressaram as cidades de Apiúna e Ascurra, passando a partir daí a ser denominado de "Consórcio Intermunicipal do Médio Vale do Itajaí".

No mesmo ano, respectivamente em fevereiro e maio, ingressaram os municípios de Indaial e Pomerode e, em 2013, Gaspar, Guabiruba e Botuverá também passaram a fazer parte. Já em 2017 foi a vez de Ilhota, Massaranduba e Luiz Alves.

Segundo Tomaselli, a Política Nacional de Resíduos Sólidos foi aprovada em 2010 e determinou que todos os lixões do país fossem fechados até agosto de 2014 e que o rejeito (aquilo que não pode ser reciclado ou reutilizado) fosse encaminhado para aterros sanitários adequados. "Os municípios do Cimvi já atendem integralmente essa demanda desde o ano de 2003", afirma.

Com o passar do tempo, observou-se realidades de países como Alemanha, Japão e Estados Unidos, que desde o ano de 2005 encerraram as atividades de aterros sanitários, priorizando aproveitamento energético dos resíduos gerados. "Pensando nisso, foi criado um projeto que visa a implantação de ações integradas de conscientização ambiental, coleta, transbordo, triagem, política reversa, geração de energia e disposição final", ressalta Tomaselli.

Parque Girassol

O aterro sanitário, com área total de 453 mil m² e operando cerca de 3,7 mil toneladas por mês, agora será Parque Girassol. O novo conceito cria um sistema que envolve as 15 cidades que compõem o Cimvi. Aquilo que até então era considerado como simples aterro ou lixão, passa a partir de agora por uma reestruturação e um novo entendimento a respeito do tratamento dos resíduos sólidos.

"Os resíduos sólidos passarão por um sistema de valorização, gerando diversos subprodutos através da reciclagem, reuso e transformação energética, instigando um novo modelo de mudança da coleta dos resíduos nas cidades e a educação para um consumo consciente", explica o presidente.

No Parque Girassol, o Cimvi implantará, com participação dos consorciados, três procedimentos da coleta: seletiva, rejeitos e convencional, visando economia logística e maior aproveitamento dos resíduos. Com esses procedimentos, aumentará o rendimento do material reciclado, a separação do lixo úmido e otimização de toda a cadeia produtiva.

Com estas tecnologias implantadas, o volume que seguirá para o aterro diminuirá consideravelmente, aumentando a vida útil do maciço e reduzindo os custos e impactos no tratamento que passa pela Estação de Tratamento de Efluentes. Com este ciclo, será garantida a qualidade do lençol freático e a vida de espécies de fauna e flora que compõe a reserva localizada no território do Parque.

O que até então era apenas um aterro, vai se transformar em uma central de referência de operação da triagem seletiva, de processamento energético, de aproveitamento dos resíduos e de fazer compostagem. "É a transformação do espaço físico numa área de convivência sem impacto de vizinhança, trazendo a proposta de um parque ambiental", ressalta Tomaselli.

Através da implantação do Parque Girassol e das tecnologias de geração de energia, o Cimvi promoverá uma mudança de paradigmas na gestão do resíduo sólido, bem como o trabalho de educação ambiental, que, além de divulgar o procedimento, educa para o consumo consciente. "Esta é uma nova realidade, efetivada em passos largos a partir do dia 6 de dezembro", enfatiza o diretor.

Visitação

A visitação ao Parque Girassol será aberta ao público mediante o agendamento prévio a partir de fevereiro de 2019. Toda visita será guiada, passando pela Galeria de Arte, auditório e estações de triagem seletiva e processamento energético. Quase no final do percurso, os visitantes poderão participar do programa de recuperação do maciço, plantando mudas ou sementes de árvores ou girassol. Feito o plantio, a visita seguirá para a caminhada na Trilha do Tatu, localizada no território do Parque Girassol, atravessando nascentes, pontilhões e lagos.




jmv_transparente.png
Editora Jornal do Médio Vale
R. Caçador, 406, Bairro das Nações, Timbó - SC,
89120-000 | Telefone (47) 3382-1855
Sobre o Jornal | Expediente | Assine | Anuncie
icon_facebook.png
icon_youtube.png