EDITORIAS

New-01-01.png

ASSINE

assi-01-01.png

ANUNCIE

Frutas de Verão

Produtores que atuam na Feira da Agricultura Familiar falam sobre o que estão oferecendo aos consumidores nestes dois primeiros meses do ano

Clarice Graupe Daronco / JMV
Foto: Clarice Graupe Daronco

TIMBÓ - Verão é uma época deliciosa para comer frutas. Elas hidratam, refrescam e alimentam, pois são recheadas de fibras, vitaminas, água e antioxidantes. Para saber como anda a venda de frutas e também de hortaliças a redação do JMV deu uma passada na Feira Municipal da Agricultura Familiar que atende de terças e sextas-feiras, no espaço ao lado da antiga Sociedade Cultural.

Em conversa com a feirante, Vanusa Kertischka que junto com o marido são proprietários do Sítio da Colina, de Doutor Pedrinho, a mesma relatou que nesta época do ano são poucos os produtos que podem ser oferecidos na Feira. "Temos pouca coisa para oferecer, muito em razão do calor, apesar dos picos de dias quentes terem sido pontuais eles afetam a produção de frutas e hortaliças", explica Vanusa ao comentar que está finalizando a colheita do morango, ainda tendo uma pequena quantidade para ser oferecida até o final de fevereiro.

Para o mês de março, a feirante terá feijão para estar comercializando. "Depois no decorrer do ano teremos hortaliças, verduras e batatinha, sendo que a cenoura colhemos e vendemos durante o ano".

A feirante Arlete Draeger conta que os dias quentes e as fortes chuvas registradas nos primeiros meses do ano, também prejudicaram sua produção de frutas e hortaliças. "No momento temos banana, jabuticaba, flores e geleias para comercializar. Em breve estaremos plantando morango e pepino, que também durante o ano iremos ofertar".

Arlete faz parte do grupo de produtores convencionais, que são no total de três que estão junto com os produtores orgânicos, no total de seis, na Feira Municipal da Agricultura Familiar. "Estamos muito felizes neste novo espaço e com certeza as nossas vendas só tendem a aumentar. O público aos poucos está vindo e nos prestigiando ao comprar o que produzimos com carinho".

O produtor de orgânicos, Jair Francisco Dallabona também explica que está com poucos produtos neste período do ano para oferecer aos comerciantes. "Estou conseguindo trazer banana, graviola, figo e pitaya", observa ele ao comentar que se o calor registrado nesta semana não tiver prejudicado as frutas terá ainda para março, figo, banana e pitaya para vender.

Pitaya: sabor chamado "saúde" 

Com relação à pitaya, Dallabona relata que é o mais antigo estudioso da planta na região. "Mas somente há dois anos resolvi plantar e ver como seria a produção. Tenho hoje 200 pés de pitaya de polpa branca produzindo e tenho como objetivo plantar mais 100 pés ainda neste ano", adianta o produtor ao comentar que apesar da colheita da pitaya ter iniciado há poucos dias a estimativa é de colher cerca de uma tonelada, na produção deste ano. 

Questionado sobre os cuidados com a planta Dallabona explica que o maior inimigo da pitaya é a abelha preta. "Essa abelha detona a pitaya, também a graviola e brotos da laranjeira. Seu mel não é comestível".

Já sobre os benefícios, o produtor afirma que depois de um breve estudo sobre o fruto descobriu que são muitos. Segundo informações nutricionais pesquisadas, a pitaya concentra poucas calorias. E, apesar de doce, não é um alimento rico em açúcar. Além de ser magrinha, a fruta concentra substâncias reconhecidamente benéficas à manutenção da saúde. Também tem um bom aporte de fibras, que auxiliam na redução do colesterol. A presença de vitamina C e de zinco são responsáveis por fazer dessa fruta uma aliada no reforço do sistema imunológico.


Como preservar a pitaya

Se estiver fechada, deixe-a em local fresco e seco - o tempo depende do seu tempo de amadurecimento. Após aberta, o ideal é que seja consumida logo, para evitar a perda de nutrientes.

Mas ela pode ser armazenada em ambiente refrigerado. Na geladeira, a fruta dura de dois a três dias. Deve ser guardada em potes fechados ou sacos vedados. Outra possibilidade é congelar a polpa por até três meses.

A pitaya cai bem em preparações com iogurte, na elaboração de geleias e na salada de frutas. Na forma congelada, vira um saboroso picolé natural. Já com a casca dá para fazer chá em infusão. Ele é rico em antioxidantes e tem alto poder diurético.


Floração

Um fator importante, observa Dallabrida, é com relação à flor da pitaya. "Ela produz uma das mais belas flores, no entanto, a floração dura entre oito e 12 horas e só se dá no período noturno, sendo um espetáculo particular para aqueles que realmente conhecem o desenvolvimento da planta".




Imagens


jmv_transparente.png
Editora Jornal do Médio Vale
R. Caçador, 406, Bairro das Nações, Timbó - SC,
89120-000 | Telefone (47) 3382-1855
Sobre o Jornal | Expediente | Assine | Anuncie
icon_facebook.png
icon_youtube.png