EDITORIAS

New-01-01.png

ASSINE

assi-01-01.png

ANUNCIE

Serviço de táxi

08 Março 2019 13:42:54

Executivo quer padronizar pontos e qualificar estrutura para que a comunidade possa utilizar ainda mais este tipo de serviço

Clarice Graupe Daronco / JMV
Foto: FOTO/ARQUIVO JMV


TIMBÓ - O serviço de táxi de Timbó é tema de reunião entre Executivo e taxistas. Segundo o prefeito, Jorge Krüger, no mês de fevereiro foi realizada a primeira reunião e no final de março terá a próxima. A primeira reunião, contou com a presença de todos os taxistas cadastrados perante o município. "Hoje, segundo a Lei do município a cada 1.500 habitantes é possível ter um ponto de taxi. O município hoje, por força dessa Lei teria em torno de 29 taxistas, mas atualmente estão cadastrados 36 licenças de serviços de táxi", explica o prefeito em entrevista à redação do JMV.

De acordo com Krüger atualmente, com o total de 36 licenças de serviço de táxi, de acordo com a Lei não existiria necessidade de estar fazendo novas concessões de licenças para exploração do serviço. "O que frisamos nesta primeira reunião, foi com relação à padronização dos veículos, onde está sendo estudada uma nova forma, principalmente no que diz respeito à adesivação, para baixar os custos para os taxistas que precisam implementar esse processo. Padronização também tem por objetivo gerar uma economia para a classe dos taxistas", observa.

O prefeito relata ainda que será efetivada a padronização dos pontos de táxis. "Nos pontos da região central que tem a presença de dois a três taxistas serão instalados ar-condicionado e qualificada a estrutura para que se possa prestar um atendimento com mais conforto aos usuários e onde tem pontos individuais nas demais áreas da cidade, a Prefeitura irá instalar placas de sinalização do ponto, com o nome do responsável e telefone para contato para quem buscar pelo serviço".

De acordo com Krüger o Executivo também quer que as pessoas que tenham a licença de táxi comprovem que efetivamente estão operando ou estão prestando o serviço, caso contrário essas concessões serão extintas. "Foi aberta possibilidade para que na reunião de final de março, os taxistas interessados façam a solicitação do remanejamento dos pontos que estão hoje para novos pontos. Essa solicitação será colocada em apreciação junto aos demais taxistas e de uma forma bastante democrática irá possibilitar dar ou não o deslocamento do taxista solicitante para um novo ponto de táxi ou para algum ponto que já existe".

O prefeito afirma que o objetivo do Executivo através destas reuniões é o de buscar a organização dos taxistas dentro do município de Timbó contemplando os locais que hoje já tem ponto e ver a possibilidade de remanejamento para alguns locais que percebesse que existe uma lacuna e que de fato tem a necessidade de que se instale um ponto para explorar o serviço. "O Executivo também reitera sobre a importância do serviço de táxi, principalmente quando estamos vivendo um momento onde as pessoas estão cada vez mais se conscientizando da necessidade de utilizar o serviço de táxi. As pessoas não vão deixar de curtir um momento de lazer mas precisam estar cientes que bebida alcoólica e direção não se deve misturar, por isso a importância de termos o serviço de táxi a disposição de todos, com mais segurança e qualidade".

Posição dos

taxistas

Um dos representantes dos taxistas de Timbó, em entrevista à redação do JMV, Mércio Teikovski, disse que atualmente tem 36 ou 37 táxis na ativa e ao ser questionado com relação à necessidade de colocar mais táxi, ele afirmou que a garantia é de 100% de que não. "De acordo com a Lei Municipal seria um táxi para cada 1.500 habitantes, ou seja estamos com 10 carros a mais na praça", observa ele ao comentar que de todos os que tem licença para Ponto de Táxi, apenas tem um que está meio parado, que não trabalha 100%.

"Estamos falando do dono do Ponto de Táxi junto ao antigo Cemur, perto da Igreja Católica, há anos passados foi tirado o Cemur do local, ficando um prédio abandonado então não tem como o taxista ficar com o táxi ali à disposição, pois não tem fluxo e muito menos demanda. Ele já solicitou a transferência de Ponto mas até agora não teve um retorno. No momento ele faz corrida através de chamada de celular, razão pela qual ele não está 100% parado".

Com relação à decisão do prefeito Jorge Krüger de fiscalizar os pontos de táxi do município para que não faltem profissionais para atender a demanda, Teikovski, afirma que a conduta do prefeito Jorge Krüger em fiscalizar está certíssima e os taxistas que estão trabalhando dentro das regras ficam, inclusive, contentes com essa decisão. "Importante é tomar providência referente aos táxis clandestinos, no meu ver essa é a única e mais importante questão a resolver".

 Questionado sobre o setor na parte econômica, o taxista afirma que a demanda caiu 40% nos últimos três anos. "Ou seja não há demanda já para os táxis que tem na praça, imagina se colocar mais táxi".





jmv_transparente.png
Editora Jornal do Médio Vale
R. Caçador, 406, Bairro das Nações, Timbó - SC,
89120-000 | Telefone (47) 3382-1855
Sobre o Jornal | Expediente | Assine | Anuncie
icon_facebook.png
icon_youtube.png