EDITORIAS

New-01-01.png

ASSINE

assi-01-01.png

ANUNCIE

Tecnologia do bem

Timboense cria primeiro aplicativo do mundo que busca doadores perto de quem precisa

Rafael Franceschet
Foto: Diego Mengarda
O app já foi baixado por 400 pessoas em apenas uma semana e virou notícia nacional por usar a tecnologia para suprir a falta de bolsas de sangue no estado

TIMBÓ - Foram cerca de seis meses planejando, programando e estudando em horários alternativos que iam das 23 às 3 horas, para que no dia 9 de julho deste ano, o estudante de Tecnólogo em Marketing na Furb, Brayon Michael Pieske, disponibilizasse na rede o aplicativo PiuPiu Life. O aplicativo criado pelo jovem de apenas 25 anos, natural de Timbó e residente em Rodeio, já foi baixado por 400 pessoas em apenas uma semana e virou notícia nacional por usar a tecnologia para suprir a falta de bolsas de sangue no estado.

E a ideia surgiu naturalmente: Brayon contou para o Jornal do Médio Vale que estava ouvindo o programa de rádio Pretinho Básico, que recebeu uma ligação de um ouvinte pedindo ajuda para divulgar a necessidade de uma doação de sangue. "Fiquei refletindo sobre isso. Quem precisa de doação de sangue busca primeiramente as redes sociais, desesperado por ajuda. Tem que entrar em contato com rádios e outros meios de comunicação, e assim vai, mesmo sem saber ao certo se terá retorno", explicou ele sobre o processo de busca que na maioria das vezes leva um tempo maior do que a saúde do paciente pode dar. 


Inspiração vem do Tinder 
A inspiração veio do Tinder, aplicativo de paquera. O aplicativo PiuPiu Life pretende ajudar a encontrar doadores próximo ao local de quem precisa. "Pensei em utilizar algo fácil de achar pessoas: o aplicativo pega a sua localização, você escolhe um raio de alcance e o tipo sanguíneo que deseja e pronto, é só procurar por Doadores. Simples, né?", explicou ele sobre a funcionalidade do PiuPiu Life. 


Responsabilidade digital
Mas engana - se quem pensa que foi o primeiro aplicativo desenvolvido por Brayon. Ele já desenvolveu um aplicativo de bate-papo, assim como whatsApp, que atualmente conta com 500 usuários ativos, mas segundo o jovem, ele não o divulga porque ainda precisa de melhorias.  

Aluno das escolas Padre Martinho Stein e Ruy Barbosa, de Timbó, já aos 17 anos, Pieske criou em uma delas e com a ajuda de colega, um sistema sonoro para servir de alarme em casos de enchente. O projeto foi premiado pelo governo catarinense, que cogitou investir no sistema e oferecer para outros estados. Quando perguntado de onde veio essa vontade, ele é prático. "De mudar o mundo, de fazer alguma coisa. Se cada um fizesse sua parte", refletiu Brayon. 

Segundo o Ministério da Saúde, apenas 1,6% dos brasileiros são doadores de sangue. Três em cada 10 doações são de reposição, ou seja, a pessoa doa especificamente para atender um chamado de um familiar, amigo ou conhecido. "A tecnologia é muito importante para Doação de Sangue, até agora temos apenas aplicativos e sites que mostram para você onde que está o Hemocentro mais próximo. Com o PiuPiu Life pode-se achar doadores de sangue que estão perto de você em questões de segundo".

Chegou a nossa vez de ajudar
O PiuPiu Life está disponível apenas para a versão Android, em inglês e português, mas logo também para iOs. Para disseminar o aplicativo e fazer com que ele atinja mais pessoas, aumentando seu banco de doadores, é preciso investimento. "Lancei uma vakinhaonline para poder juntar dinheiro, traduzir para mais idiomas, lançar para iOS (iphones, ipads), fazer assessorias com outras empresas, publicidades pagas para alcançar mais pessoas, mais funções e melhorias em geral.", explicou o timboense. Procure a vakinha: Doação de Sangue - Aplicativo e contribua. E, atenção iniciativa privada: essa pode ser a chance de vocês. Responsabilidade social é tudo! 




jmv_transparente.png
Editora Jornal do Médio Vale
R. Caçador, 406, Bairro das Nações, Timbó - SC,
89120-000 | Telefone (47) 3382-1855
Sobre o Jornal | Expediente | Assine | Anuncie
icon_facebook.png
icon_youtube.png