EDITORIAS

New-01-01.png

ASSINE

assi-01-01.png

ANUNCIE

Focos de dengue aumentam em Timbó

10 Maio 2019 14:56:00

Mais de 150 armadilhas de Aedes aegypti são vistoriadas semanalmente pela Vigilância Sanitária

Bruna Laline Ramos / JMV
Foto: DIVULGAÇÃO/IMAGEM ILUSTRATIVA

TIMBÓ - O Aedes aegypti é o mosquito transmissor de três doenças assustadoras: a dengue, zika e a chikungunya. Em Timbó, segundo dados da Vigilância Sanitária, nenhum foco positivo do Aedes aegypti foi registrado em 2018. Porém, em 2019 houve aumento desse número, sendo que até o momento quatro focos foram confirmados em quatro bairros: Estados, Fritz Lorenz, Quintino e Vila Germer.

De acordo com o coordenador da Vigilância Sanitária municipal, Carlos Bras Busarello, sempre que um foco é detectado, realiza-se a inspeção de todos os imóveis (residência, comércio, indústria, outros), num raio de 300 metros do foco, afim de verificar possíveis criadouros e orientar os moradores. Se for encontrado mais focos positivos, a inspeção é estendida novamente para mais 300 metros, até que não sejam mais identificados.

Busarello afirma, ainda, que a Vigilância Sanitária vistoria semanalmente 154 armadilhas em Timbó. "As armadilhas são denominadas de 'larvitrampas', pois captura o mosquito no estado larval. Elas são instaladas em locais estratégicos públicos ou privados dos quais as atividades em seu redor tem potencial de criadouros, tais como floriculturas, transportadoras, cemitérios, dentre outros", explica.

Com a autorização prévia do proprietário ou responsável, a Vigilância Sanitária fixa a armadilha em local sombrio, com pouco fluxo de pessoas, distantes não mais que um metro do chão, já que mosquito voa nesta altura. "As armadilhas são instaladas aproximadamente 300 metros distantes uma da outra", conta.

Além das armadilhas que são inspecionadas semanalmente, Busarello lembra que estão incluídas na rotina de combate ao mosquito as inspeções nos chamados "Pontos Estratégicos": floricultura, cemitério, borracharia, marmoraria, oficina, ferro-velho, posto de combustível, agência de turismo, transportadora, loja de material de construção e outros. "Estas inspeções são realizadas a cada 15 dias", diz.

Com o intuito de prevenir os focos positivos do Aedes aegypti, a Vigilância Sanitária solicita para que os moradores limpem e fiquem atentos às caixas d'água e às calhas, sendo estes locais propícios para a proliferação dos mosquitos.


Cuidados necessário 

Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar, alguns cuidados são necessários para combater o mosquito: tampe as caixas d'água; mantenha as calhas sempre limpas; deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo; mantenha lixeiras bem tampadas; deixe ralos limpos e com aplicação de tela; limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia; limpe com escova os potes de água para animais; e retire água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa.

Outras dicas são: cobrir e realizar manutenção periódica de áreas de piscinas e de hidromassagem; limpar ralos e canaletas externas; ter atenção com bromélia, babosa e outras plantas que podem acumular água; e deixar lonas usadas para cobrir objetos bem esticadas, para evitar formação de poças d'água.

A entidade também orienta para que o cidadão utilize telas em janelas e portas e aplique repelente nas áreas expostas do corpo. Caso observe o aparecimento de manchas vermelhas na pele, olhos avermelhados ou febre, procure um médico.





jmv_transparente.png
Editora Jornal do Médio Vale
R. Caçador, 406, Bairro das Nações, Timbó - SC,
89120-000 | Telefone (47) 3382-1855
Sobre o Jornal | Expediente | Assine | Anuncie
icon_facebook.png
icon_youtube.png