EDITORIAS

New-01-01.png

ASSINE

assi-01-01.png

ANUNCIE

Gás de cozinha fica mais caro

10 Maio 2019 14:42:00

Petrobras aumenta nesta semana em 3,4$ o preço do GLP de uso residencial

Bruna Laline Ramos / JMV
Foto: Ilustração

TIMBÓ - A Petrobras elevou nesta semana em 3,4%, em média, os preços do gás liquefeito de petróleo (GLP) de uso residencial, o gás de cozinha de 13 quilos. O último reajuste anunciado pela estatal havia sido feito em fevereiro, quando os preços dos botijões subiram cerca de 1%.

Com o aumento desta semana, o gás de cozinha passa a custar R$ 26,20, sendo que este valor trata-se da média nacional, sem tributos, nas refinarias da companhia. Já o preço para o consumidor fica ainda mais alto, pois as distribuidoras têm a liberdade para praticar preços e devem ainda incorporar o valor de impostos (ICMS, PIS/Pasep e Cofins) e outros custos.

De acordo com a Petrobras, os ajustes no preço do GLP de uso residencial acontecem trimestralmente para suavizar impactos da volatilidade no mercado externo sobre os valores domésticos. "Os principais fatores para o ajuste nas refinarias foram a desvalorização do real frente ao dólar e a alta do produto no mercado internacional", informou a estatal. 


Revendas repudiam o aumento

Segundo o portal de notícias Correio Braziliense, para o presidente da Associação Brasileira dos Revendedores de GLP, Alexandre Jose Borjaili, o aumento do gás é abusivo. "De acordo com a empresa, eles seguem a média do mercado europeu, mas o preço está acima da média.

A Petrobras produz o gás residencial para o Brasil e compara com os preços internacionais.

A população que precisa do gás para o combate à fome e para fins residenciais, não deveria ser prejudicada", disse o presidente. 


Preço em Timbó

A redação do JMV realizou uma pesquisa de mercado e conversou com revendedoras de gás de Timbó para saber se o reajuste já está sendo repassado ao consumidor. Das três empresas entrevistadas, nenhuma aplicou o aumento. Na primeira, o gás residencial de 13 quilos é vendido a R$ 80,00 desde outubro do ano passado. Na segunda, o botijão é vendido a R$ 70,00, mas apesar de ainda não ter feito o reajuste no preço, a revendedora já informou que nos próximos dias deverá passar a cobrar R$ 2,00 a mais.

Na terceira empresa entrevistada, o GLP de uso residencial é vendido a R$ 80,00 e, segundo os proprietários, o preço ainda permanece o mesmo porque o reajuste não chegou ao bolso da empresa, mas assim que tiver reajuste, o aumento será repassado também ao consumidor, mas não há previsão de quando isso irá ocorrer. 






jmv_transparente.png
Editora Jornal do Médio Vale
R. Caçador, 406, Bairro das Nações, Timbó - SC,
89120-000 | Telefone (47) 3382-1855
Sobre o Jornal | Expediente | Assine | Anuncie
icon_facebook.png
icon_youtube.png