EDITORIAS

New-01-01.png

ASSINE

assi-01-01.png

ANUNCIE

'Síndrome de Burnout'

Profissional de psicologia explica o termo e como ela pode ser tratada

Clarice Graupe Daronco / JMV
Foto: Ilustração

TIMBÓ - "Você já ouviu falar sobre "síndrome de Burnout"?". A pergunta é da psicóloga timboense Francielle Hartmann. Segundo a profi ssional o termo "Burnout" é defi nido como aquilo que deixou de funcionar por absoluta falta de energia, ou seja, aquele que chegou ao seu limite, com grande prejuízo em seu desempenho físico ou mental. "É a doença de caráter psicossocial que mais cresce no mundo e tem como fator de risco a organização do trabalho. Ela pode ser entendida como uma doença decorrente da elevada carga de estresse imposta ao indivíduo em seu ambiente de trabalho, levando-o a um sério quadro patológico".

Francielle explica que trata-se de um esgotamento físico, mental e emocional associado ao trabalho que afeta três em cada dez brasileiros. "Burnout caracteriza-se por três sintomas principais como a exaustão emocional, despersonalização e a falta de realização pessoal. Esta síndrome afeta uma ampla gama de profissionais, como os que atuam na área da Saúde, pois trabalham em contato direto com pessoas, a exemplo de médicos, enfermeiros, nutricionistas, psiquiatras, psicólogos, enfermeiros, entre outros".

De acordo com a profissional a qualidade de vida dos trabalhadores da Saúde encontra-se diretamente relacionada aos diferentes estressores ocupacionais. "Entre os vários fatores de estresses ocupacionais, podemos citar a carência de profissionais ou indivíduos capacitados, as prolongadas jornadas de trabalho, a falta de reconhecimento profissional, assim como o contato constante com o sofrimento, a dor e até mesmo, a morte. Considerando estes fatores, os trabalhadores da Saúde precisam estar atentos à sua saúde mental e emocional, muito mais do que profissionais de outras áreas".

A exaustão emocional, observa a psicóloga, abrange sentimentos de desesperança, depressão, raiva, impaciência, irritabilidade, tensão, diminuição de empatia; sensação de baixa energia, fraqueza, preocupação; aumento da suscetibilidade para doenças, náuseas, tensão muscular, dor lombar ou cervical, distúrbios do sono. "O desencadeamento da síndrome de Burnout é multicausal, ou seja, pode ser por várias causas e envolve múltiplos fatores individuais e laborais".

Fatores

Sobre os fatores de risco possivelmente ligados ao aparecimento da síndrome de Burnout, segundo a profissional, está a pouca autonomia no trabalho, problemas de se relacionar com as chefias, dificuldades de relacionamento com colegas de trabalho ou pacientes, divergências entre trabalho e família, sentimento de desqualificação e falta de cooperação da equipe. "Pessoas que costumam ser proativas fazem tudo ao mesmo tempo, possuem o desejo de ser o melhor e sempre demonstrar alto grau de desempenho, pois medem a autoestima pelo sucesso profissional e estão propensas a apresentar a síndrome em algum momento de suas vidas".

Francielle comenta que vivemos em uma cultura sobre a qual somos educados para "dar conta de tudo" e isso está nos adoecendo física, mental e emocionalmente. "É extremamente importante destacar que a síndrome de Burnout não traz consequências prejudiciais apenas para o indivíduo, mas para os colegas e para a empresa como um todo".

Prevenção

Para prevenir esta síndrome, a empresa precisa melhorar a qualidade de vida do profissional, não sobrecarregando-o, propondo as divisões de tarefas e serviços, assim como organizar uma rotina laboral. "A síndrome de Burnout é tratável e há formas de prevenção para as empresas e instituições, basta olhar o seu empregado como um todo, como um ser que tem vida social, vida familiar, e não focar somente no que ele faz no seu exercício laboral. Há certa demanda de profissionais que exigem um olhar mais atento das empresas nas quais trabalham. É uma doença que pode ter consequências drásticas".

A profissional destaca que a prevenção da Burnout necessita de ações educativas e terapêuticas no âmbito individual, grupal, social e organizacional. "Com relação ao plano individual é recomendado identificar os elementos que provocam o estresse e esgotamento, e quais podem ser as estratégias adotadas no enfrentamento da síndrome. Além disso, adotar hábitos saudáveis; regular os horários de alimentação balanceada; procurar dormir/descansar bem; praticar exercícios físicos regularmente; realizar atividades prazerosas e agradáveis em meio à natureza; desenvolver talentos pessoais; aprender a dizer não; saber administrar melhor o tempo; manter relações saudáveis; aprender a ser mais flexível; buscar se afastar de agentes estressores; meditar e relaxar".

O tratamento da síndrome de Burnout, de acordo com Francielle, deve seguir uma estratégia multidisciplinar: farmacológica, psicoterapêutica e médica.




jmv_transparente.png
Editora Jornal do Médio Vale
R. Caçador, 406, Bairro das Nações, Timbó - SC,
89120-000 | Telefone (47) 3382-1855
Sobre o Jornal | Expediente | Assine | Anuncie
icon_facebook.png
icon_youtube.png