EDITORIAS

icone_assinatura.png

ASSINE

icone_anuncio.png

ANUNCIE

Luiza Beatriz é o primeiro bebê de 2018

09 Janeiro 2018 14:18:54

O primeiro bebê de 2018, do Hospital e Maternidade Oase de Timbó nasceu às 7h34min, do dia 2 de janeiro.

Clarice Graupe Daronco / JMV
Foto: FOTOS/CLARICE GRAUPE DARONCO/JMV


TIMBÓ - O primeiro bebê de 2018, do Hospital e Maternidade Oase de Timbó nasceu às 7h34min, do dia 2 de janeiro. Segundo informações da equipe de profissionais do setor da maternidade do Hospital, a virada do ano, de 31 de dezembro a 1º de janeiro, foi super tranquila e não foi registrado nenhum nascimento. Já na manhã do dia 2 de janeiro, a equipe muito empenhada ajudou a vir ao mundo a pequena Luiza Beatriz Pereira dos Santos. O primeiro bebê de 2018, do Hospital e Maternidade Oase, nasceu de cesárea pesando 2.975 quilos e medindo 47 centímetros.

Luiza é filha de Michele Pahl, de 31 anos, que trabalha como revisora em uma empresa têxtil e de Fabrício Pereira dos Santos, de 33 anos, que é serralheiro, residentes em Rodeio. A menina é a segunda gestação do casal, que já são pais do Gabriel, de cinco anos. Michele conta que a Luiza foi programada para atender a um pedido do Gabriel que queria muito uma irmã ou um irmão. "O nascimento da Luiza é mais uma benção em nossas vidas e queremos para ela assim como também para o Gabriel que tenham uma boa educação para que sejam alguém na vida. Nos empenhamos em ensinar o certo e sermos exemplos para eles", destacam os pais orgulhosos.

O nascimento de Luiza foi acompanhado pelo médico obstetra, Fernando Marques e o pediatra, Marceu Flores. O pediatra relatou que o parto foi bem tranquilo e esteve em aleitamento materno já na primeira hora de vida. "O bebê é considerado recém-nascido até o 28º dia de nascimento. Neste período, é comum mães e pais ficarem preocupados com a fragilidade e saúde de seus filhos", comenta o pediatra ao orientar que durante esses dias sejam observadas algumas situações importantes como: a temperatura do bebê que deve ser sentida ao tocar o tórax. "Se o tórax do bebê estiver suando ele está com calor, mas se estiver frio, ele está com frio; proteger a cabecinha do bebê, por causa da moleira e alimentar somente com leite materno. "De acordo com orientação da Organização Mundial da Saúde, da Sociedade Brasileira de Pediatria e do Ministério da Saúde o aleitamento materno deve ser exclusivo e de livre demanda até os primeiros seis meses de vida da criança, pois o leite humano é prático, acessível, pronto para ser ofertado na temperatura ideal e além de tudo ainda fortalece o vínculo entre a mãe e o bebê, podendo seguir até os dois anos de idade, sendo complementado com outros alimentos".

Mais bebês

Além da Luiza, no dia 2 de janeiro, nasceram no Hospital e Maternidade Oase, mais uma menina e três meninos. Sendo que o segundo bebê a nascer no Hospital no ano de 2018, foi o menino Guilherme, às 8h40min, do dia 2. O pequeno, que nasceu pesando 4.010 quilos e medindo 52 cm, é filho da professora Maria Francisca Pereira, de 37 anos, e do aposentado Osni Pasquali, de 47 anos, de Timbó. Guilherme é o primeiro filho do casal que estão juntos há seis anos. "O Guilherme foi planejado e muito esperado por mim e meu marido", relata Maria Francisca ao destacar que espera poder dar o melhor para o seu filho, em especial uma boa educação. "A educação é a base de tudo, além dos bons exemplos que temos que dar e já temos que começar desde agora pois os filhos se espelham nos pais".

Os profissionais observam ainda que o último nascimento do ano de 2017 foi registrado às 17h20min do dia 31 de dezembro.


Cuidados com os bebês

O médico pediatra e diretor Técnico do Hospital e Maternidade Oase de Timbó, Paolo Piermarini, em entrevista esclarece algumas dúvidas com relação aos cuidados com os recém-nascidos neste período de calor intenso.

Em entrevista Piermarini explica que um dos principais cuidados com os recém-nascidos é com relação à mudança de temperatura nos ambientes. "É importante evitar o choque térmico, por exemplo se estiver muito quente ligue o ar-condicionado com o bebê já no ambiente", aconselha o médico.

O pediatra observa ainda que para os recém-nascidos que estão se amamentando do leite materno não há necessidade de oferecer líquidos, caso seja um dia excessivamente quente pode-se oferecer um pouco de água fervida à temperatura ambiente 20 minutos após a mamada. Já na questão de roupas as mesmas devem ser adequadas à temperatura do ambiente.

De acordo com o médico pediatra, em geral neste período do ano as crianças estão suscetíveis a gastrointerites e desidratação. "No Verão é muito importante hidratar-se devido às temperaturas mais altas desse período. Lembre-se: a água é a melhor bebida para as crianças e também é necessário evitar a ingestão de sucos artificiais e refrigerantes".

Outro quesito que precisa de atenção são as doenças de pele que costumam aparecer neste período e também é preciso ter muito cuidado com os ouvidos, devido aos banhos de mar, piscinas ou cachoeiras.

Outro cuidado importante, observa o médico pediatra, refere-se à higiene da criança, do ambiente e dos alimentos. "A lavagem das mãos antes e após o uso do banheiro e antes das refeições é uma medida que reduz muito a contaminação por vírus e bactérias. Além disso, a limpeza do ambiente, principalmente ventiladores e filtros de ar-condicionados, auxilia na prevenção de infecções e alergias respiratórias. O cuidado com a higienização dos alimentos e utensílios como mamadeiras, por meio da desinfecção com produtos adequados, é muito importante para interromper o ciclo de transmissão fecal-oral de doenças parasitárias, por exemplo".

Neste período do ano, também é muito comum o aparecimento dos mais diversos tipos de insetos, e é necessária uma proteção constante. "Durante o Verão, pode haver aumento da proliferação de insetos vetores de doenças como Dengue, Zika e Chikungunya. Além das medidas de controle ambiental para impedir a reprodução dos mosquitos, existem técnicas de proteção mecânica como telas nas janelas e portas, ambientes fechados ao entardecer e à noite e mosquiteiro no berço. É válido proteger as crianças com roupas claras e calças compridas e aplicar repelentes adequados para a sua faixa etária", comentam os profissionais ao recomendar que é fundamental manter o acompanhamento, das crianças, em consultas regulares com o pediatra.


mais sobre:


jmv_transparente.png
Editora Jornal do Médio Vale
R. Caçador, 406, Bairro das Nações, Timbó - SC,
89120-000 | Telefone (47) 3382-1855
Sobre o Jornal | Expediente | Assine | Anuncie
icon_facebook.png
icon_youtube.png