Os bastidores da produção do livro de Gastronomia

Foto: ROGÉRIO EDGAR MAAS

Um livro bonito, com uma diagramação leve, fotos bem tratadas e principalmente com textos que relatam a história dos imigrantes europeus e suas famílias. Assim é o livro denominado "Culinária e Gastronomia na formação histórica da cidade de Timbó" que foi lançado em julho, e teve sua realização através do projeto via Lei Rouanet - Pronac nº 203495 - Lei de Incentivo à Cultura.

Mas como foi a produção do livro, a história nos bastidores para que esse projeto fosse concretizado. Para contar sobre o desenvolvimento do trabalho que resultou no lançamento do livro, a redação do JMV entrevistou os três profissionais envolvidos: Ademir Winkelhaus, Ivone Gumz e Kátia Marly Zimath de Mello.

Em entrevista os três são unânimes em afirmar que "o Projeto Culinária e Gastronomia na formação histórica da cidade de Timbó é a realização de um sonho já há muito tempo sonhado e que, agora, se concretiza".

O projeto que resultou no livro teve por objetivo resgatar, através de pesquisa, junto às famílias, receitas que são consideradas especiais, com alguma história junto àquela família ou comunidade e foi elaborado e coordenado por Ademir Winkelhaus, Ivone Gumz e Kátia Marly Zimath de Mello.

Segundo Ivone "tudo se iniciou há pelo menos 15 anos, quando a Kátia Marly Zimath de Mello, extensionista da Epagri, expressou essa vontade. Esta pesquisa foi sendo construída durante alguns anos do seu trabalho, onde, junto com as mulheres da região, principalmente as agricultoras, essas receitas foram sendo resgatadas e catalogadas. Muitas dessas receitas foram heranças de nossos imigrantes que se preocuparam em preservar os hábitos alimentares, as tradições e principalmente a culinária, receitas essas, que foram mantidas pelas famílias, e repassadas de geração em geração".

Kátia observa que "há uns três anos, em um feliz encontro com Ademir e a Ivone, decidimos fazer um projeto para a concretização do mesmo, pois acreditamos na Cultura como um alimento para as emoções e para o espírito das pessoas, como um direito tão elementar quanto alimentação, educação, saúde e habitação".

Ivone destaca que "a partir disso, foram muitos encontros, muitas conversas, muitas pesquisas, muita estrada, muitos cafés, muitas imagens e decisões a serem tomadas para a melhor formatação do livro, as melhores receitas".




Resgate da vivência familiar

Os três profissionais relatam que "o projeto foi aprovado em 2020, tendo como objetivo principal resgatar, através de pesquisa, a culinária e gastronomia na formação histórica da cidade de Timbó, através de vivências familiares na imigração ítalo-germânica, com registro de suas festas mais representativas, numa riqueza cultural que é fruto de muita luta desses imigrantes ao se estabelecerem aqui, valorizando suas raízes e honrando a terra que os acolheu. As mulheres que de uma forma ou outra trouxeram a culinária, que muitas vezes foram adaptadas com ingredientes novos, substituindo os originais e com isso inovaram na cozinha, no sabor, no paladar, porém mantiveram vivas as receitas que até hoje nos brindam com títulos de gastronomia e culinária com as características do povo catarinense e em especial da região do Vale Europeu catarinense e do município de Timbó".

Ivone comenta que "o livro traz essa história envolvida em afetividade e, ao mesmo tempo, informações técnicas para o bom preparo de uma grande variedade de receitas de doces e salgados que brilharam nas mesas catarinenses e ainda enriquecem o cardápio local".

O livro apresenta em suas páginas ainda festividades nas quais envolvam as famílias e as comunidades em suas tradicionais festas, sejam elas familiares, religiosas ou comunitárias, relatando de forma simples o comportamento dos timboenses e buscando relembrar os pratos e histórias onde os sabores da mesa estejam presentes. Causos, coisas, receitas e fotos expressam esse tema tão rico e tão importante para a formação cultural timboense.

As oficinas em grupos comunitários, realizadas através da Epagri, sob a coordenação da Kátia, trabalham a cultura local e a gastronomia diversificada, que sempre foram pontos fortes do município. "O legado e as tradições cultivadas pelas famílias das comunidades do nosso município permanecem presentes e continuam sendo passados para as gerações futuras", observa Kátia.

Ivone relata que "esta filosofia vivida traz em si a essência da comida afetiva e da hospitalidade, tão bem representadas em nossas festas típicas, mostrando que a função do alimento não é apenas nutrir, pois está pautado em funções como: o modo como são feitas as refeições, o local onde são feitas... contribuindo assim para o entendimento da contribuição que a alimentação, seja no café, almoço, jantar, chá ou outros encontros em torno da mesa possam vir a formar a cultura e a memória das relações de pertencimento social. Assim, se teve como proposta, resgatar e construir memórias, explorar as relações entre a gastronomia e hospitalidade, através da mesa farta nas famílias ítalo-germânicas e seus legados, enfatizando a memória e os sentimentos arraigados nas raízes de nossas festas e suas celebrações, através de casamentos típicos, festas de rei do tiro, bocha e bolão, festa da colheita, festas religiosas e festa típica do município".


Apoio a cultura 

De acordo com Winkelhaus "devido à pandemia do Covid-19, que dificultou o processo num todo, principalmente nos encontros com os grupos e organização dos pratos e dos participantes e, na captação de recursos, acabamos por lançar a obra física somente em 2022. O livro está sendo distribuído em escolas, bibliotecas, museus, apoiadores, formadores de opinião, entre outros".

Kátia adianta que "a maioria das famílias envolvidas nessa publicação descende dos imigrantes europeus - a eles nosso profundo agradecimento por tão gentilmente terem cedido as receitas- e, traduz uma vida que ocorria e ocorre em torno da mesa das mesmas, e onde as receitas passam de geração em geração, embalando boas conversas e risadas com boa comida, perpetuando a cultura dos antepassados, traduzindo uma história de paixão pela boa mesa, que tem como ingrediente principal as receitas caseiras das famílias. Este livro representa o cozinhar e bem receber, a preservação da cultura ítalo-germânica e de uma história secular de sabor e riqueza".

Ivone explica que "isso tudo recheado de belas imagens torna este livro um manual de toda e qualquer cozinha, seja essa cozinha familiar, confeitaria ou industrial, pois possui diversas receitas tradicionais, no qual o destaque também está na fotografia - produzidas pelo fotógrafo Rogério Edgar Maas - de cada prato que está no acervo possuindo também o nome e a fotografia de cada pessoa que forneceu a receita. O livro é muito criativo e muito importante para a conservação e preservação da Identidade Cultural Gastronômica de Timbó".

Os três profissionais observam ainda que "este projeto foi aprovado pela Lei Rouanet, Pronac número 203495 - artigo 18, e só foi viável graças à Lei de Incentivo à Cultura, que reconheceu, desde a sua concepção, a grandiosidade e importância do mesmo para a história local e de nossos apoiadores culturais: Grupo Mueller, Metisa, Unifique, Rede Cooper e ao apoio institucional da Epagri, pela colaboração e sensibilidade para com os projetos ligados à História e Cultura de Timbó. Gratidão e carinho a todos que estiveram direta ou indiretamente vinculados a concretização deste projeto".



jmv_transparente.png
Editora Jornal do Médio Vale
R. Caçador, 406, Bairro das Nações, Timbó - SC,
89120-000 | Telefone (47) 3382-1855
Sobre o Jornal | Expediente | Assine | Anuncie
icon_facebook.png
icon_youtube.png